A pesquisa realizada com o instrumento de avaliação da funcionalidade em idosos com doença de Alzheimer: Inventário das Tarefas Rotineiras – Estendido (RTI-E) contribui com a prática de Terapia Ocupacional baseada em evidências, lançando um novo instrumento no Brasil que possibilita avaliar o desempenho cotidiano de idosos com Alzheimer. O estudo resultou na dissertação para obtenção do grau de Mestre em Ciências da pesquisadora Patricia Cotting Homem de Mello, Terapeuta Ocupacional do IPq.

As intervenções de Terapia Ocupacional com idosos com Alzheimer são reconhecidas como fundamentais para o melhor curso do quadro. O grande aumento da prevalência das doenças neurodegenerativas, com o envelhecimento populacional, solicita efetividade nas intervenções realizadas com essa população. Este instrumento possibilita avaliação efetiva, com coleta de informações objetivas, válidas e fidedignas, valiosas para a prática clínica de Terapia Ocupacional,  utilizando atividades reais  do cotidiano, o que confere praticidade na aplicação.

A avaliação de funcionalidade é relevante para os cuidados como idoso devido à relação entre funcionalidade e envelhecimento, havendo carência de instrumentos que comparem a observação do terapeuta, do cuidador e do próprio paciente quanto ao desempenho. As informações colhidas com do RTI-E norteiam a adoção de medidas de cuidados e de segurança, adaptação de atividades e do ambiente e outras intervenções.

A tradução, adaptação transcultural e validação do Inventário das Tarefas Rotineiras-Estendido (RTI-E) com idosos com doença de Alzheimer avaliou o desempenho do instrumento para avaliar os idosos em quatro tarefas rotineiras e possibilitou identificar as limitações e potenciais para a realização de atividades cotidianas de pessoas com demência. Foram avaliados 85 sujeitos (42 casos e 43 controles) e o familiar/cuidador, utilizando-se avaliação de rastreio para transtornos mentais, avaliação da cognição e da funcionalidade. A confiabilidade foi obtida por consistência interna (alpha de Cronbach) e entre avaliadores (CCI). A validade de conteúdo foi obtida por validade concorrente e a validade de critério obtida por validade convergente.

Obteve-se um instrumento válido e confiável, adaptado, aplicável à prática clínica e em pesquisas.

Mais informações: pesquisadora Patricia Cotting Homem de Mello, Terapeuta Ocupacional do IPq. e-mail: patricia.cotting@hc.fm.usp.br