Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Unidades e Serviços Especializados

Hospital Dia Adulto (HDA)

Tratamento intensivo para portadores de transtornos psiquiátricos com condições de autogerenciamento e que necessitam de um plano terapêutico diferenciado e personalizado. Funciona diariamente e desenvolve atividades em ambiente terapêutico e de “portas abertas”, visando o processo de reabilitação psicossocial. Programa terapêutico composto por métodos biológicos, psicológicos, sociais, ocupacionais, lúdicos e esportivos, constantemente avaliado e modificado conforme a evolução clínica do paciente.Participação em atividades grupais, oficinas terapêuticas e estágios terapêuticos em setores administrativos do IPq. Inserção dos familiares no tratamento por meio de reuniões multifamiliares, atendimentos individuais de família e, se houver necessidade, terapia familiar.

Atividades em grupo: desenho e pintura, psicoterapia, terapia ocupacional, atividades externas, convivência, reorientação ocupacional, oficinas terapêuticas, literatura, grupo de massoterapia, cidadania, grupo de admissão, conscientização, grupo multifamiliar, vídeo, grupo de alta, atividade física e lazer. Atividades individuais: avaliações clínicas, psicoterapia breve, avaliações psicológicas e neuropsicológicas, avaliações sócio familiares e terapia familiar.

Coordenador: Dr. Renato Del Sant

Hospital Dia Infantojuvenil

O Hospital Dia Infanto Juvenil (HDI) tem como proposta principal oferecer tratamento psiquiátrico e terapêutico para crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e que estejam em fase aguda ou em processo de reestabilização, mas que necessitem de abordagem multidisciplinar de maneira intensiva a fim de estabelecer recuperação suficiente para que possa dar continuidade ao tratamento em regime ambulatorial ou em programas de reabilitação e acompanhamento externo, como os Centros de Atenção Psicossociais da Infância e Adolescência (CAPS-I). Funciona em modelo de semi-internação, onde o paciente recebe atendimento diário intensivo, com retorno para casa à noite. A criança e o acompanhante (responsável legal) recebem atendimento diário multidisciplinar (Fonoaudiologia, Psicopedagogia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Classe hospitalar e de Enfermagem) além de atendimento psiquiátrico clínico.

Coordenação: Dr.Dr. Caio Casela e Dra. Telma Pantano (multidisciplinar) .

Pronto Atendimento

Voltado especialmente às urgências psiquiátricas dos clientes em acompanhamento ambulatorial no IPq, o Pronto Atendimento abrange também as solicitações de consultas (interconsultas) das demais unidades do Complexo HC.

Coordenação: Dra Vanessa Flaborea Favaro.

Interconsultas

O Grupo de Interconsultas presta assistência psiquiátrica a pacientes internados e de pronto socorro do Complexo HC, realizando avaliações e acompanhamento. No campo da pesquisa, tem projetos em diferentes áreas, como: clínica médica, hematologia, cardiologia, endocrinologia e neurologia, com enfoque para as depressões no contexto médico. O grupo investiga a prevalência em ambiente hospitalar e ambulatorial.Seu hospital-dia atende crianças e adolescentes dos 7 aos 16 anos, que apresentem transtornos emocionais graves ou quadros agudos que estejam interferindo no desenvolvimento psicológico e social, requerendo cuidados mais intensos e constantes dentro de um ambiente terapêutico.

Coordenação: Dr. Teng Chei Tung.

O Ambulatório de Gestantes do Interconsultas foi criado em 2004.

Direcionado para o atendimento de pacientes gestantes que estejam com algum sintoma psiquiátrico durante a atual gestação e gestantes com antecedentes psiquiátricos pessoais.

O atendimento é realizado por psiquiatras. No entanto, o ambulatório trabalha em conjunto com o ambulatório de pré-natal de pacientes com psicopatologia da Obstetrícia do Instituto Central  e temos o apoio da equipe multidisciplinar com psicologia, nutrição, serviço social e fisioterapia.

O tratamento consiste em:

> Consulta clínica que envolve: a  avaliação psicossocial, clínica e psiquiátrica completa do paciente e o levantamento das hipóteses diagnósticas e propostas terapêuticas.

>  Tratamento farmacológico dos transtornos,

> Orientações psicossociais sobre a doença psiquiátrica, gestação, parto, pós aparto e amamentação,

> Envolvimento do parceiro e familiares no tratamento e acolhimento da paciente.

> Encaminhamento a psicoterapias específicas.

O ambulatório ocorre às quintas feiras das 14h00 às 18h00

O contato e/ou encaminhamento para  atendimento as pacientes do HC devem ser encaminhadas pelo Sistema de Interconsultas; pacientes de fora do HC: o médico responsável (obstetra, psiquiatra ou médico da família) deve entrar em contato através do e-mail: vera.tess@hc.fm.usp.br para discussão do caso.

Centro de Reabilitação para Idosos

Tratamento multiprofissional integrado ao idoso portador de doença de Alzheimer e desordens relacionadas, com grau leve ou moderado de comprometimento cognitivo. O programa, que tem abordagem não farmacológica, funciona como hospital-dia e se propõe cuidar integralmente do paciente duas vezes por semana, pelo período de três meses, sendo oferecidas rotinas de estimulação cognitiva, física e ocupacional, a fim de reabilitá-lo para a vida social e familiar e melhorar sua qualidade de vida.

Coordenação: Prof. Dr. Orestes Forlenza

Serviço de Psicoterapia

O Serviço de Psicoterapia, criado em 1963, alia práticas de intervenções psicoterápicas ao tratamento clínico, oferecendo acompanhamento ambulatorial individual, em grupo, para casais, famílias e também a pacientes encaminhados pelas diferentes unidades do IPq e de outras clínicas do complexo HC. Sua equipe é eclética, formada por psiquiatras, psicoterapeutas e psicólogos ligados a três correntes principais: psicanálise, psicologia analítica e psicodrama.

Um dos objetivos de pesquisa da área é testar e implantar novas formas de abreviar as psicoterapias, por meio de experiências realizadas pelo grupo de psicoterapia psicodinâmica breve. O serviço contribui ainda com supervisões de grupos de profissionais ligados ao atendimento de pacientes psiquiátricos, como a enfermagem e o serviço social, ocupando-se de aspectos psicológicos da relação médico – paciente.

Coordenação: Dr. Oswaldo Ferreira Leite Netto.

Psicoterapia dinâmica breve em grupo

bordagem psicoterápica com duração e objetivos limitados que privilegia a ocorrência de uma rede de múltiplas interações e intercâmbio constante entre os pacientes. Tem como objetivos aumentar a capacidade dos pacientes para se relacionarem em sociedade, estabelecendo vínculos de confiança e aliança e aumentar a capacidade de tolerar frustrações com maior flexibilidade e compreensão de seus problemas. Realizada em grupos fechados de 10 a 12 pacientes, semanalmente, com duração de 16 sessões.Podem participar indivíduos que apresentem transtornos psiquiátricos mais severos e/ou crônicos, que possam se beneficiar da interação com o grupo através da troca de experiências e apoio mútuo. A identificação da doença psiquiátrica como um denominador comum nas tensões do grupo faz com que os pacientes sintam-se mais compreendidos e expressem uma preocupação genuína uns com os outros, reforçando a aderência ao tratamento e à medicação.

Coordenação: Dra. Patrícia Schoueri e Dra. Eva Helena Zoppe.

Psicoterapia dinâmica breve individual

Abordagem psicoterápica com duração e objetivos circunscritos, respaldada na teoria psicanalítica. Utiliza a delimitação de um foco, o tempo de tratamento e a restrição das vivências transferenciais, com o objetivo de alcançar resultados efetivos em curto espaço de tempo para o alívio do sofrimento psíquico e aumento da autonomia dos pacientes para os quais o trabalho está indicado.Realizada individualmente com duração de 12 a 24 sessões. Reconhece a estrutura psicodinâmica como um sistema aberto, considerando que a mudança em determinada área de conflito pode ter repercussões maiores, propiciando alterações em outras esferas da vida e no funcionamento psicodinâmico do paciente como um todo.

Direcionada a indivíduos que apresentem psicopatologia leve, de início recente, com presença de inserção social. Em geral, indivíduos com estrutura de personalidade mais organizada, que se encontram em situação de crise, e não apresentam defesas egóicas muito intensas ou primitivas.

Coordenação: Dra. Patrícia de C. L. Schoueri e Dra. Eva Helena C. Cardoso Zoppe.

Psicoterapia dinâmica breve de adolescentes

Atende pacientes de 11 a 17 anos e 11 meses com diagnóstico psiquiátrico em tratamento no Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do IPq, bem como seus familiares, por meio de terapia familiar breve. A abordagem familiar tem um grande impacto na boa evolução do quadro clínico quando a dinâmica familiar estiver contribuindo com ou sendo afetada pelo diagnóstico.

Psicoterapia grupal

A psicoterapia grupal visa trabalhar conflitos pessoais e inter-relacionais de forma que o indivíduo se inclua num contexto social ao qual pertence e não se sinta ou perceba excluído por ser, pensar, sentir ou perceber de alguma maneira que não seja o que possa ser considerado “normal” ou padrão. Qualquer pessoa pode se beneficiar de psicoterapia grupal, desde que se disponha a participar e se sinta incluída no contexto grupal. Existem grupos chamados específicos, que trabalham populações ou questões específicas e os grupos gerais, onde qualquer pessoa, tema, característica pessoal ou de comportamento pode ser trabalhado.

Psicoterapia individual

Abordagem das questões emocionais que interferem no desenvolvimento das pessoas, através de sessões semanais. Funciona como complemento terapêutico para pessoas em tratamento psiquiátrico e também pessoas interessadas nos benefícios da psicoterapia.

Terapias Vinculares

Trata-se de encontros de uma família com um psicólogo, permitindo o esclarecimento e a mudança de expectativas, envolvimento, padrões de comunicação e de expressão de afeto ou oposição. É especialmente indicada a familiares e cuidadores que:

• estão começando a entender o que se passa com um parente que tem um transtorno neuropsiquiátrico;
• não podem dividir a tarefa de ajudar este parente com outras pessoas;
• sentem uma necessidade muito frequente de procurar os clínicos envolvidos no caso;
• convivem com muitas recaídas, apesar do tratamento;
• não conseguem evitar brigas sérias e constantes, que chegam até à violência verbal ou física.

Coordenação: Dra. Maria Odila Buti Lima

Internação

Para casos em que há necessidade de internação para tratamento dos transtornos psiquiátricos, o IPq conta com unidades de internação e hospital-dia especializadas e diferenciadas por patologias, da infância à maturidade.

• Ansiedade e depressão
• Transtornos alimentares
• Dependência química
• Psiquiatria geriátrica
• Psiquiatria da infância e adolescência
• Unidade metabólica
• Unidade de pacientes agudos

Serviço de Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional foi inaugurada no IPq em 1964 e surgiram as primeiras terapeutas formadas no Instituto de Reabilitação, e em 1969, na USP.  A profissão foi regulamentada e as primeiras oficinas que nós tivemos aqui no IPq  foram de sapataria e marcenaria.

As terapeutas ocupacionais atuam nas Unidades de Internação de adultos, geriatria, infantil, no  Hospital Dia Adulto, Hospital-Dia Infantil e Ambulatórios.

O Serviço de T.O do IPq atua na reabilitação de indivíduos com transtornos neuropsiquiátricos de alta complexidade oferecendo assistência na área da infância e adolescência, adultos e idosos com alterações cognitivas perceptivas, psicomotoras, emocionais, sociais e outras.

O referencial teórico que nós utilizamos é a reabilitação cognitiva funcional e terapia ocupacional dinâmica. O objetivo da T.O é melhorar aspectos cognitivos e funcionais do indivíduo dar-lhes condições para melhorar o desempenho ocupacional nas atividades cotidianas.

Coordenação: Adriana Dias Vizzotto

Serviço Social

O Serviço Social identifica e intervém nas situações socioeconômicas e culturais que estejam interferindo no processo saúde-doença.

O assistente social realiza articulação com a rede de atenção à saúde, com órgãos de proteção de direitos e previdenciários de acordo com a legislação vigente.

Atendimento aos pacientes e seus familiares com procura espontânea ou agendadas em seus diversos contextos e demandas.

Realiza segmentos de casos ambulatoriais contribuindo para a formação do plano terapêutico do paciente e atendimento de grupo.

Atendimentos pontuais com concessão de auxílio concreto. Direcionamos os casos para rede de apoio à saúde mental e encaminhamos para a rede assistencial.

Atendimento aos pacientes internados fazendo parte da equipe multiprofissional elaborando avaliação social e estudos socioeconômicos com a realização de entrevistas sociais, atendimento familiar, e visitas domiciliares identificando demandas e planejando intervenções.

Atendimento por telefone e  on-line.

Nossa atuação é pautada em princípios éticos humanizados garantindo aos pacientes e seus familiares acessos aos seus direitos sociais.

Coordenação: Meimei Marcelino

Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência

O Serviço de Psiquiatria da Infância e da Adolescência foi criado oficialmente em 1961. Reconhecido como centro de excelência para atendimento psiquiátrico, de crianças e adolescentes até 17 anos e 11 meses.

O tratamento no SEPIA é realizado com o apoio de equipe multidisciplinar, médicos, psicólogos, terapeutas e equipe de enfermagem.

O SEPIA está dividido em Ambulatórios especializados e Unidade de Internação

> Ambulatório Intervenções Precoces

> Ambulatório Transtornos Espectro Autista

> Ambulatório Psicoses na Infância e Adolescência

> Ambulatório Transtornos Afetivos

> Ambulatório Transtornos Ansiosos na Infância e Adolescência

> Ambulatório de Transtornos Alimentares na Infância e Adolescência

> Ambulatório de Adolescentes

> Ambulatório Equilíbrio

> Ambulatório para o Desenvolvimento dos Relacionamentos e das Emoções

> Ambulatório de Interconsultas

> Ambulatório Epilepsia e Quadros Psiquiátrico

> Ambulatório Geral

 

Unidade de Internação de psiquiatria infantil para menores de 18 anos

Localizada no andar térreo sul, temos a unidade destinada à internação de crianças e adolescentes com espaços diferenciados como sala de aula hospitalar e  brinquedoteca. A internação é feita sempre junto com um familiar, para preservar o vínculo mãe-filho, importante do ponto de vista terapêutico; e a equipe multiprofissional conta com pedagogos e psiquiatras com formação especializada para infância e adolescência.

Fonoaudiologia

O atendimento fonoaudiológico no Instituto de Psiquiatria teve início na década de 90 e tem como objetivo avaliar e estimular de forma individual e em grupo as estruturas que compõem o sistema mio-funcional oral e as funções neurovegetativas (respiração, mastigação, deglutição), além de propiciar o  funcionamento da linguagem nas diversas formas de expressão (oral, gestual, facial, corporal) e do pensamento (organização simbólica e sequencial), da fala e dos aspectos funcionais da comunicação. A sua atuação permite a construção e o restabelecimento de situações comunicativas saudáveis e funcionais com relação aos aspectos de emissão e compreensão das diversas modalidades de expressão simbólica do pensamento nas diversas alterações que acometem as condições de saúde mental. O serviço atende atualmente crianças e adolescentes em semi-internação e avalia casos de ambulatório e enfermaria infanto-juvenil e de adultos.

Fonoaudiologia em Saúde Mental

O Fonoaudiólogo na área de Saúde Mental é o profissional capacitado a avaliar e estimular as estruturas que compõem o sistema mio-funcional oral e as funções neurovegetativas (respiração, mastigação, deglutição), além de propiciar o  funcionamento da linguagem nas diversas formas de expressão (oral, gestual, facial, corporal) e do pensamento (organização simbólica e sequencial), da fala e dos aspectos funcionais da comunicação. A sua atuação permite a construção e o restabelecimento de situações comunicativas saudáveis e funcionais com relação aos aspectos de emissão e compreensão das diversas modalidades de expressão simbólica do pensamento nas diversas alterações que acometem as condições de saúde mental.