Riscos sexuais em indivíduos que estão, estiveram ou encontram-se em lista de espera para tratamento para impulso sexual excessivo no AISEP-IPQ-HCFMUSP durante a Pandemia do Covid-19

O transtorno hipersexual é caracterizado como comportamento sexual frequente e repetitivo em que a pessoa experiencia a perda de controle em relação aos comportamentos sexuais que são mantidos apesar de possíveis desfechos negativos. Os pacientes diagnosticados com o transtorno estão mais expostos a infecções sexualmente transmissíveis pelo comportamento sexual potencialmente de risco, além de apresentarem níveis elevados de ansiedade. 

No contexto de pandemia do novo coronavírus em que há um medo constante da infecção e da letalidade do vírus, além do sofrimento devido ao isolamento social, os pacientes com impulso sexual excessivo estão submetidos a aumento de sintomas ansiosos, o que pode influenciar o comportamento sexual. 

O estudo sobre os riscos sexuais no período da pandemia do COVID-19 está sendo desenvolvida no Ambulatório de Impulso Sexual Excessivo e de Prevenção aos Desfechos Negativos associados ao Comportamento Sexual – AISEP/IPq/HCFMUSP aberto para indivíduos, homens e mulheres de 18 a 55 anos, que apresentam transtorno hipersexual.

A piora dos sintomas de transtorno hipersexual pode estar relacionada, portanto, a maior exposição ao coronavírus e às infecções sexualmente transmissíveis. Dessa forma, objetivamos investigar nesse estudo as propriedades psicométricas do Instrumento de Avaliação do Risco no Comportamento Sexual em indivíduos que se encontram ou estiveram em tratamento no AISEP do IPq, a saber: confiabilidade, validade de constructo discriminante e convergente. Hipotetizamos que os indivíduos com maior escore de risco apresentarão maior gravidade de sintomas compulsivos sexuais, hipersexuais, impulsivos, de ansiedade e de depressão. 

Instrumentos para análise:  Instrumento de Avaliação do Risco no Comportamento Sexual, Escala de Compulsividade Sexual (ECS), Comportamentos Sexuais Compulsivos Problemáticos, Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), Inventário de Depressão de Beck (BDI), Escala de impulsividade de Barratt (BIS-11) e Inventário de Triagem do Transtorno Hipersexual (ITTH).

A pesquisa leva em torno de 12 minutos e está sendo realizada via questionários on-line, com indivíduos entre 18 e 65 anos. Se você acha que apresenta o transtorno hipersexual e quer participar da pesquisa envie um e-mail para aisep.ipq@hc.fm.usp.br com o título #PESQUISA_RISCOS_SEXUAIS e o seu telefone de contato. Um link será enviado para o seu Whatsapp e só será preciso clicar para ter acesso aos formulários e participar da pesquisa.

Pesquisador responsável: Dr. Marco de Tubino Scanavino

e-mail: aisep.ipq@hc.fm.usp.br