Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

O artigo Fatores de risco modificáveis individuais e familiares na infância para condenação criminal: um estudo de coorte de 7 anos no Brasil foi publicado  na revista Scientific Reports, do grupo Nature.

O estudo realizado por pesquisadores brasileiros teve como objetivo identificar os fatores de risco na infância para condenação criminal em um seguimento de 7 anos entre os participantes do Estudo de Coorte Brasileiro de Alto Risco para Transtornos Psiquiátricos (BHRCS) 29, uma coorte escolar de jovens residentes em duas grandes cidades brasileiras, São Paulo e Porto Alegre.

O crime é um grande problema público em países de baixa e média renda (PBMRs) e suas medidas preventivas podem ter grande impacto social. A extensão em que múltiplos fatores de risco modificáveis ??entre crianças e famílias influenciam a condenação criminal juvenil em um LMIC permanece inexplorado; no entanto, é necessário identificar alvos de prevenção.

Este estudo examinou a associação entre 22 exposições modificáveis ??individuais e familiares avaliadas na infância (5-14 anos, n = 2511) e condenação criminal em um acompanhamento de 7 anos (13-21 anos, n = 1905, 76% de taxa de retenção ) em uma coorte de jovens no Brasil. A fração de risco atribuível à população (PARF) foi calculada para fatores de risco significativos. Condenações criminais foram relatadas para 81 (4,3%) jovens. Embora a maioria das crianças que vivem na pobreza não tenha apresentado condenação criminal (89%), a pobreza na linha de base foi o único fator de risco modificável significativamente associado ao crime (OR 4,14, IC 99,8% 1,38–12,46) com um PARF de 22,5% (IC 95% 5,9–36,1%).

Sugere que prevenir a exposição das crianças à pobreza reduziria quase um quarto das condenações criminais subsequentes. Esses achados destacam a importância da pobreza na condenação criminal, pois inclui várias privações e sugerem que as intervenções de erradicação da pobreza na infância podem ser cruciais para a redução da criminalidade entre os jovens brasileiros.

 

Ziebold, C., Evans-Lacko, S., Andrade, MCR et al. Fatores de risco modificáveis individuais e familiares na infância para condenação criminal: um estudo de coorte de 7 anos no Brasil. Sci Rep 12 , 13381 (2022). https://doi.org/10.1038/s41598-022-13975-8