Apresentação

O IPq é o mais avançado centro de ensino, pesquisa e assistência em psiquiatria e saúde mental da América do Sul.

Corpo clínico de excelência, formado por psiquiatras, neuropsiquiatras  e  neurocirurgiões renomados, bem como equipe multiprofissional altamente qualificada.

Dispõe de estrutura física e hotelaria diferenciadas e com qualidade para atender também clientes de convênio e seguro-saúde, desenvolvendo projetos terapêuticos adequados ao perfil e quadro clínico de cada paciente. 

Especialidades Médicas e Cirúrgicas

Atendimentos ambulatorial e hospitalar (internação) nos diferentes níveis de complexidade.

Unidades de internação especializadas  e diferenciadas por patologias:

  • Ansiedade e depressão


·         Enfermaria de Ansiedade e Depressão – EAND

A Enfermaria de Ansiedade e Depressão do IPq caracteriza-se por atendimento em regime de internação a pacientes com transtornos de humor e ansiedade, atendendo principalmente pacientes com patologias severas, resistentes ao tratamento, ou com complicações importantes, como tentativas de suicídio.

Para o tratamento desses casos, dispõe de equipe multidisciplinar especializada, composta por médicos psiquiatras e clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, equipe de enfermagem e assistente social, que realizam completa investigação diagnóstica, caracterizada por rigorosa avaliação clínica, testes neuropsicológicos, exames laboratoriais e de imagem, propondo tratamento baseado em evidências, com associação de diversos medicamentos, psicoterapia e tratamentos biológicos como a eletroconvulsoterapia.

Dentre os transtornos de humor, estão o transtorno depressivo maior, o transtorno bipolar, em fases maníacas e/ou depressivas, com ou sem sintomas psicóticos. Dentre os transtornos de ansiedade, os mais frequentes são o transtorno obsessivo compulsivo, o transtorno de ansiedade generalizada e o transtorno do pânico. São frequentes as comorbidades com epilepsia, lúpus eritematoso sistêmico e hipotireoidismo, além de regularmente os pacientes apresentarem transtornos de personalidade como, por exemplo, o transtorno borderline e o transtorno de personalidade histriônica.

Transtornos de Humor

Caracterizam-se por sensações anormais de depressão ou euforia, com possíveis manifestações psicóticas associadas.

O diagnóstico de depressão é feito com base no exame clínico do paciente. São fundamentais os sintomas relatados, além da história pessoal e familiar. Pode ser observada uma tristeza intensa, duradoura e angustiante, que pode estar associado a uma incapacidade de sentir prazer, que chamamos de anedonia. Outros sintomas podem estar presentes como falta de motivação, perda de peso, falta de energia, cansaço ou fadiga, além de retardo ou agitação psicomotora. Os sintomas devem estar presentes por pelo menos duas semanas e representar uma alteração ao desempenho anterior. Uma intensa melancolia pode se apoderar dos sentimentos, sem uma possível reação. Os deprimidos podem perder a capacidade de sentir esperança, o desejo sexual também pode estar comprometido. Queixam-se de estar sem ânimo ou energia, quando não conseguem se concentrar para atividade do cotidiano. A diminuição do apetite pode evoluir para a anorexia. A situação oposta, de aumento do apetite, com ganho de peso também é comum. A insônia pode ocorrer, tanto com dificuldade para iniciar o sono, como com o despertar várias vezes durante o sono. Desconforto físico ou dores (de cabeça, musculares, abdominais) também são frequentes e podem acompanhar a depressão. Os deprimidos sentem-se incapazes de responder positivamente e frequentemente sentem-se inúteis.

No transtorno bipolar temos também os episódios de mania, como são chamados os períodos de humor anormal e persistentemente elevado, com aumento de atividade e energia, onde sintomas como aumento da autoestima, grandiosidade, redução da necessidade de sono, pressão por falar, pensamentos acelerados e perda de concentração são frequentes. Os pacientes podem sentir-se ativados, com comportamento errático e desinibidos, muitas vezes com gastos desnecessários, que levam ao arrependimento, podem assumir responsabilidades em excesso, iniciar atividades e não conseguir conclui-las, com baixa tolerância a frustração. Um aumento subjetivo de energia, com baixa capacidade de concentrar-se em atividades como leitura ou trabalho também ocorrem com frequência. A irritabilidade e a dificuldade de convívio, com brigas frequentes e explosões, com ataques de raiva, também podem estar presentes nesses quadros.

A oscilação do humor no transtorno bipolar ocorre com fases de depressão e mania que podem ocorrer de forma alternada, ou mesmo coexistirem, em episódios com características mistas do transtorno bipolar.

Transtornos de Ansiedade

A ansiedade pode ser dividida em diversos tipos de transtornos, cada um com uma causa e um sintoma diferente, não impedindo que ambos aconteçam simultaneamente:

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)

É o mais comum. A pessoa passa praticamente o dia todo ansiosa e em alguns momentos tem uns picos de ansiedade. Geralmente acontecem com um nervosismo por uma situação que não aconteceu ainda, ou simplesmente por receios.

Estresse pós-traumático

Acontece quando os sintomas de ansiedade começam a surgir após algum ocorrido na vida da pessoa que a deixou traumatizada ou marcada. Pode ser por uma perda muito grande, algum tipo de violência sofrida, por exemplo. Esses pensamentos dos momentos ruins retornam a qualquer instante, até mesmo em sonhos.

Síndrome do pânico

São períodos de crises intensas de ansiedade, que se desencadeiam muitas vezes sem uma causa específica. É muito comum se evitar ficar em locais com pouco fluxo de pessoas, com medo de não conseguir ajuda durante os ataques.

Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)

Perturbação que provoca obsessões (pensamentos repetitivos) e compulsões (comportamentos repetitivos para aliviar a ansiedade causada pelas obsessões).

Fobias

São apresentações de ansiedades de maneira intensa, podendo ser elas relacionadas a um objeto ou situação, por exemplo, medo de baratas (tão intenso de forma que a pessoa não pode nem sequer ver a imagem de uma barata), ou também a fobias sociais, como medo descontrolado de falar em público ou de estar no meio dele.

  • Transtornos alimentares

Enfermaria Comportamento Alimentar – ECAL

Os Transtornos Alimentares são doenças psiquiátricas que se caracterizam por padrões de comportamentos alimentares inadequados que podem afetar tanto o consumo como a absorção dos alimentos.  

A Enfermaria Comportamento Alimentar (ECAL) é a única no setor público do Brasil com atendimento gratuito e especializado para pacientes com Transtornos Alimentares. O tratamento oferece atendimento multidisciplinar com equipe especializada no atendimento de transtornos alimentares desde 1992.

O atendimento psiquiátrico é realizado por médicos com formação específica em transtornos alimentares, bem como a enfermagem e nutrição. São realizadas atividades psicoterápicas e de terapia ocupacional, como avaliação de distorção corporal e habilidades sociais. Temos também  o projeto inovador da cozinha experimental.

·         Tipos:

Anorexia Nervosa – É um dos transtornos alimentares mais conhecidos e tem seu diagnóstico pautado no baixo peso corporal, para idade, gênero e trajetória de vida que se mantém pela utilização de recursos extremos como longos períodos de jejum, exercícios físicos excessivos, vômitos voluntários, uso de laxantes, diuréticos ou moderadores de apetite no intuito de forçar uma perda de peso maior. Tais comportamentos inadequados são mantidos devido ao medo intenso de ganhar peso ou engordar. Comumente pode haver distorção da imagem corporal ou outras perturbações na vivência do peso e forma corporal ou ausência de crítica quanto à gravidade do baixo peso.

Bulimia Nervosa – É um transtorno alimentar muito conhecido caracterizado pelos episódios recorrentes de compulsão alimentar (ingestão de grande quantidade de alimento em um curto espaço de tempo com sensação de perda de controle) seguidos de comportamentos compensatórios inadequados, que tem a finalidade de impedir o ganho de peso corporal. Dentre esses métodos estão: vômitos autoinduzidos, laxantes, exercício físico em excesso, etc. Emoções como culpa e vergonha estão frequentemente associados ao quadro.

Transtorno de Compulsão Alimentar – O Transtorno de compulsão alimentar é caracterizado por episódios recorrentes de compulsão alimentar (ingestão de grande quantidade de alimento em um curto espaço de tempo com sensação de perda de controle) e conta com outros aspectos como: Comer mais rapidamente do que o normal. Comer até se sentir desconfortavelmente cheio. Comer grandes quantidades de alimento na ausência da sensação física de fome. Comer sozinho por vergonha do quanto se está comendo. Sentir–se deprimido ou muito culpado em seguida. O Sofrimento marcante em virtude da compulsão alimentar também é observado frequentemente.

Transtorno Restritivo Evitativo – É um transtorno alimentar que teve seu critério diagnóstico estabelecido mais recentemente, sendo caracterizado por uma perturbação alimentar onde o individuo se esquiva da comida devido a características dos alimentos, como: textura, aparência, cor, odor, temperatura ou não apresenta interesse na comida. Há uma perda de peso significativa ou fracasso em obter o ganho de peso esperado ou atraso de crescimento em crianças. As deficiências nutricionais e dependência de alimentação enteral ou suplementos orais podem ocorrer. Além de uma dependência dos alimentos específicos consumidos incluindo não só o tipo de alimento como também marcas. Comprometendo o estado nutricional, além da socialização.

Outro Transtorno Alimentar Especificado – Quando sintomas característicos de um transtorno alimentar que causam sofrimento e prejuízo ao indivíduo predominam, mas não satisfazem todos os critérios para qualquer transtorno, às vezes chamado de quadros subclínicos, exemplo: Bulimia nervosa de baixa frequência, Anorexia nervosa atípica.

Transtornos Alimentares na Infância e Adolescência – O período da infância e adolescência é uma fase muito favorável para o tratamento dos transtornos alimentares. A intervenção multidisciplinar precoce associada ao suporte familiar são determinantes para recuperação da criança ou adolescente. Nesta faixa etária, além dos transtornos alimentares mais comuns (anorexia nervosa, bulimia nervosa e transtorno de compulsão alimentar), também é prevalente o diagnóstico de transtorno alimentar restritivo/evitativo, conhecido pela sigla TARE. A anorexia infantil, o comer restritivo, o comer seletivo ou a fobia alimentar são quadros que merecem tratamento especializado de equipe multidisciplinar formada minimamente por psiquiatra, nutricionista comportamental e psicólogo. O fonoaudiólogo também pode complementar o tratamento, bem como o fisioterapeuta nas questões relacionadas à imagem corporal.

  • Dependência química

  Enfermaria de Comportamento Impulsivo (ECIM)

A dependência de drogas  é uma doença cerebral complexa que se manifesta pelo uso compulsivo de substâncias, apesar dos vários prejuízos decorrentes deste uso. Pessoas com dependência têm um foco intenso no uso de determinada (s) substância (s) como álcool ou drogas. Estas substâncias passam a controlar a vida dessas pessoas. Vários tratamentos eficazes estão disponíveis e as pessoas podem se recuperar da dependência e voltar a ter uma vida normal e produtiva. 

Quando há a necessidade de internação, o IPq conta com uma enfermaria especializada para tratamento de dependentes  de drogas (álcool, tabaco e drogas ilícitas). Nesta enfermaria, o tratamento é conduzido por uma equipe multiprofissional altamente qualificada na área.

·   Psiquiatria geriátrica

Enfermaria Geriátrica / EGRT– oferecer atendimento e tratamento na área de saúde mental do idoso, pacientes com mais de 60 anos de idade, (demências, alcoolismo, transtornos psicóticos, transtornos depressivos e ansiosos), incluindo neuropsiquiatria clínica, neuroimagem, neuropsicologia, genética, epidemiologia, ensaios clínicos, psicoterapia e atenção a cuidadores. A equipe conta com dois psiquiatras, tem atendimento psicológico individual e em grupo e atendimento de terapia ocupacional individual e em grupo e avaliação cognitivo-funcional. O ambiente é adaptado para idosos, com camas apropriadas, portas mais largas, corrimãos e banheiros adaptados.

·   Psiquiatria da infância e adolescência  (uma das únicas unidades de internação para crianças no país)

·   Enfermaria Metabólica

Transtornos psiquiátricos e neurocirúrgicos, especialmente para  atendimento a pacientes com doenças clínicas associadas. Possui 10 leitos para atendimento de casos psiquiátricos complexos em regime de internação (8 leitos) sem agitação psicomotora e casos neurocirúrgicos (2 leitos) em leitos especializados. Os leitos estão distribuídos todos em quartos individuais amplos com conforto, sendo 6 suítes e 4 quartos com banheiros externos exclusivos. Possui enfermagem treinada para o manejo e condução dos casos, atendimento psicológico individualizado e toda a retaguarda de atividades que o IPq oferece. A unidade comporta atendimento de pacientes de saúde suplementar e também do sistema único de saúde.

·    Hospital-dia adultos

Tratamento intensivo para portadores de transtornos psiquiátricos com condições de autogerenciamento e que necessitam de um plano terapêutico diferenciado e personalizado. Funciona diariamente e desenvolve atividades em ambiente terapêutico e de “portas abertas”, visando o processo de reabilitação psicossocial. Programa terapêutico composto por métodos biológicos, psicológicos, sociais, ocupacionais, lúdicos e esportivos, constantemente avaliado e modificado conforme a evolução clínica do paciente. Participação em atividades grupais, oficinas terapêuticas e estágios terapêuticos em setores administrativos do IPq. Inserção dos familiares no tratamento por meio de reuniões multifamiliares, atendimentos individuais de família e, se houver necessidade, terapia familiar.

Atividades em grupo: desenho e pintura, psicoterapia, terapia ocupacional, atividades externas, convivência, reorientação ocupacional, oficinas terapêuticas, literatura, grupo de massoterapia, cidadania, grupo de admissão, conscientização, grupo multifamiliar, vídeo, grupo de alta, atividade física e lazer. Atividades individuais: avaliações clínicas, psicoterapia breve, avaliações psicológicas e neuropsicológicas, avaliações sócio familiares e terapia familiar.

·   Hospital-dia para crianças e adolescentes

Internação em período parcial de crianças e adolescentes que necessitam de acompanhamento psiquiátrico além do atendimento ambulatorial.

  • Hospital-dia para idosos
  • Tratamento multiprofissional integrado ao idoso portador de doença de Alzheimer e desordens relacionadas com grau leve ou moderado de comprometimento cognitivo. O programa, que tem abordagem não farmacológica, funciona como hospital-dia e se propõe cuidar integralmente do paciente, duas vezes por semana, pelo período de três meses, sendo oferecidas rotinas de estimulação cognitiva, física e ocupacional, a fim de reabilitá-lo para a vida social e familiar e melhorar sua qualidade de vida.
Foto: Evandro Monteiro