Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Foto: Evandro Monteiro

Eletroencefalograma (EEG)

O Instituto de Psiquiatria dispõe de moderno e avançado Serviço de Eletroencefalografia (EEG), proporcionando a seus pacientes, inclusive de convênios e particulares, a facilidade e praticidade de realizar esse exame no próprio IPq, com a mesma qualidade e excelência dos demais serviços oferecidos.

Primeira instituição psiquiátrica do Brasil a receber o selo de Acreditação Pleno da ONA, o IPq tem a chancela do Hospital das Clínicas e Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – HCFMUSP.

Diferenciais exclusivos

> Corpo clínico e equipe multiprofissional altamente qualificados.
> Mais de 60 anos de experiência.
> Quartos individuais e infraestrutura completa.
> Equipamentos modernos e precisos.
> Disponível para pessoas de todas as idades, inclusive bebês.

O que é EEG

O eletroencefalograma – EEG, é um exame de monitoramento não invasivo que registra a atividade elétrica cerebral, captada por meio de eletrodos fixados no couro cabeludo.

Seu objetivo é detectar alterações que possam colaborar para o diagnóstico de transtornos neurológicos, tais como:

> Diagnóstico de epilepsia
> Análise de alterações do nível de consciência de causa não definida
> Verificação de algumas doenças degenerativas
> Investigação de bases orgânicas dos transtornos psiquiátricos

No IPq, além do EEG clínico tradicional, são realizados o EEG prolongado e o EEG com sedação, aumentando a sensibilidade  do método.

Como é realizado o exame

O EEG é um exame simples, indolor e sem contraindicações.

O primeiro passo é a colocação de eletrodos no couro cabeludo, fixados com uma pasta condutora que também tem a função de facilitar a captação dos sinais elétricos cerebrais.

O registro da atividade cerebral pode ser feito durante a vigília, ou seja, com o paciente acordado, ou durante a sonolência e o sono.

O exame pode incluir também provas de ativação, onde o paciente realiza hiperventilação e é submetido a fotoestimulação  (lâmpada que produz flashes), aumentando assim a sensibilidade do método diagnóstico.

Tem duração de 40 a 120 minutos e não requer preparos extras além de estar com os cabelos limpos e secos.

Coordenação: Dra. Kette Valente

Videoeletroencefalograma (VEEG)

O VEEG analisa a atividade elétrica cerebral espontânea através do registro contínuo do eletroencefalograma associado e sincronizado ao registro de vídeo. O objetivo principal do exame é registrar as manifestações clínicas que possam representar crises epiléticas e determinar a natureza de eventos que não são crises epilépticas mas que mimetizem as mesmas, como por exemplo as crises não-epilépticas psicogênicas.
Abrange distúrbios neurológicos e psiquiátricos como: suspeita de estado de mal epiléptico, alteração súbita do nível de consciência, coma, encefalite, epilepsia, distúrbios paroxísticos (ex. síncope, movimentos involuntários, etc.), alterações metabólicas, demência, acidente vascular cerebral, estados catatônicos, droga e adição, introdução e retirada de medicações psicoativas.
Coordenação: Dra. Lia Arno e Dra. Sigride T. de Souza.

Foto: Evandro Monteiro

Polissonografia e Medicina do Sono

Voltada à investigação, tratamento e seguimento de pacientes com distúrbios do sono, a polissonografia é indicada para casos de apneia, sonolência excessiva diurna, síndrome das pernas inquietas, narcolepsia, cataplexia e obesidade mórbida, entre outros transtornos. O exame também auxilia para o diagnóstico de sonambulismo, terror noturno, bruxismo e fibromialgia.
Coordenação: Dra. Rosa Hasan.

Ressonância magnética

O Serviço de Ressonância Magnética realiza exames de diagnóstico por imagem convencionais. O equipamento tem a vantagem de possuir magneto com abertura interna de 70 cm (mais largo que o convencional, de 60 cm) proporcionando menos claustrofobia e possibilitando a realização de exames em pacientes obesos.

Exames laboratoriais completos

Exame genético para determinação de dose de medicamento – Determinação das variantes genéticas para detectar pessoas que metabolizam os medicamentos de forma lenta (tendências a mais efeitos colaterais) ou ultrarrápida (tendência a menos efeitos terapêuticos). O conhecimento destas variantes permite também o ajuste personalizado da dose de medicamentos.
Coordenação: Prof. Dr. Wagner Gattaz. 


Avaliações neuropsicológica e de personalidade

O Serviço de Psicologia e Neuropsicologia do Instituto de Psiquiatria é referência na realização de avaliações neuropsicológica e de personalidade, com mais de 20 anos de experiência. Conta com equipe altamente especializada, apresentando resultados de excelência, com agilidade e eficácia.

Avaliação neuropsicológica

Realizada em 4 a 8 sessões, a avaliação neuropsicológica é um procedimento que inclui entrevistas clínicas e uso de instrumentos neuropsicológicos (testes) para investigar as possíveis alterações cognitivas e comportamentais associadas às lesões ou disfunções cerebrais.

Funções avaliadas

  • Atenção (concentrada, seletiva, alternada, e dividida por estímulos visuais e auditivos)
  • Orientação (temporal e espacial)
  • Memória (verbal, visual, episódica e semântica)
  • Linguagem (fluência, compreensão, funções verbais)
  • Percepção (visual, auditiva, tátil)
  • Praxia (aspectos motores)
  • Funções executivas (relativo a tomadas de decisões)
  • Raciocínio (dedutivo, analítico, inferencial, matemático, abstrato, verbal)
  • Inteligência

Indicações
A avaliação neuropsicológica é indicada para quadros neurológicos, psiquiátricos e neuropsiquiátricos:

  • Doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral)
  • Traumatismos cranioencefálicos (TCE)
  • Hidrocefalia
  • Doença de Alzheimer
  • Demências (vascular, Alzheimer, frontotemporal e pick)
  • Doença de Parkinson
  • Esclerose múltipla
  • Epilepsias
  • Depressão
  • Esquizofrenia e outras psicoses
  • Transtorno afetivo bipolar
  • Dependência química
  • Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)
  • Outros

Avaliação da Personalidade

O exame de personalidade tem como objetivo apurar as condições da estrutura do funcionamento psicológico de uma determinada pessoa. Esta avaliação indicará o quanto essas características emocionais são consideradas “normais”, o quanto sugerem a presença de um transtorno da personalidade, a presença de um quadro de alteração do humor, de ansiedade ou psicose. Utiliza-se a entrevista clínica e os instrumentos psicológicos adequados a esta finalidade. Duração de 3 a 5 sessões.

A avaliação da personalidade pode se indicada quando há dúvidas quanto a:

  • Transtorno da Personalidade
  • Transtornos do Humor (depressão, transtorno bipolar)
  • Quadros psicóticos
  • Transtornos de ansiedade (pânico, fobias, ansiedade generalizada)
  • Transtorno obsessivo-compulsivo
  • Transtornos do impulso
  • Outros
Foto: Evandro Monteiro